‘A gente é muito chato, cavaco que tem direito sobre o outro’, diz Fiuk em defesa dos transgêneros

CRIS VERONEZ

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – Todo dia 25 de outubro, data de seu natalício, o intérprete Filipe Galvão, 26, mais conhecido como Fiuk, sorteia cem fãs e realiza uma festa. Isso porque ele realiza o viável na direção de ser o ídolo que seus fãs merecem.

“Eu idem já fui muito fã de artistas. Teve uma época que eu vi que nenhum dos meus ídolos faziam nada pelos fãs. A partir do momento que eu virei ídolo, de uma certa forma, eu falei: ‘vou formar tudo que eu queria que tivessem feito comigo'”, diz.

O intérprete idem relembra as loucuras que suas fãs mais ousadas já fizeram. “Uma vez uma moça pediu na direção de eu escrever no corpo dela uma frase que eu dono. Passou uma semana e ela apareceu com a frase tatuada. Eu falei: ‘meu Deus, inclusive suficientemente que eu não escrevi uma asneira'”. 

Durante a conversa, Fiuk falou com carinho sobre uma fã que está passando pela transição de gênero, dessa maneira como Ivana, personagem de Carol Duarte em “A Força do Querer”. Na trama da Globo, a rapariga é irmã de Ruy, personagem de Fiuk. “A gente se diverte. Ela chega e fala: ‘agora sou ele, não ela’. É tudo uma grande chacota. A vida é isso, descobrir, testar. A gente é muito chato, cavaco que tem direito sobre o outro”, diz.

na direção de o intérprete, é galante que a novela aborde temas relativos a transexuais, travestis e transformistas. “Dane-se o que você quer ser, não é sufoco de ninguém e a vida é formosa por isso. Como que você vai correr numa pessoa porque você não gosta do que ela está vestindo? Pelo amizade de Deus, nem criatura realiza isso. A gente é pior que criatura”, opina.

TRÊS ANOS DEPOIS

Fiuk passa por aquela fase que todo intérprete adora: ser confundido com o personagem nas ruas -a prova de que seu movimento de interpretação deu certo. “Eu postei uma foto com o nenê [que realiza o filho do personagem na trama] e todo mundo ficou falando: ‘o filho não é teu, acorda'”.

Ver que está sendo suficientemente recebido pelo assistência, mesmo seguidamente três anos longe da televisão, fez com que o intérprete percebesse que fez a escolha certa quando resolveu tirar um tempo na direção de repensar a carreira. “É muito favorável saber que eu posso confiar na minha intuição. na direção de mim está tudo certo, acho que estamos no caminho”.

O intérprete, no entanto, explica que nem tudo são flores, e que existem pessoas que têm raiva dele “de encanto”. “Elas olham na direção de mim e falam: que raiva dele, ele não tinha que estar além porque é filho do Fábio Jr.. Acho que obrar é questionar, não é convencer o outro a te desejar. Então o meu papel eu estou fazendo suficientemente feito. Eu passei num teste que muitas pessoas tinham feito, então quanto ao que eu faço na minha vida eu sou muito suficientemente resolvido e eu idem não questiono. agora, contra fatos não há argumentos: a novela está demais”.

‘A gente é muito chato, cavaco que tem direito sobre o outro’, diz Fiuk em defesa dos transgêneros

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/apos-gente-%C3%A9-muito-chato-174800490.html