Coalizão justifica ofensiva a aeroplano sírio por “direito” de defender aliados

Cairo, 18 jun (EFE).- A coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos justificou neste domingo o ofensiva a um aeroplano do governo da Síria por haver direito de defender seus aliados, as milícias das Forças da Síria Democrática (FSD).

Em comunicado, a coalizão informou que um investigação F-18E Super Hornet derrubou um Su-22 depois de a aeronave síria haver lançado bombas contra a FSD perto da cidade de Al Tabqa, sobre 62 quilômetros ao oeste de Al Raqqa, no nordeste do país.

precedentemente do bombardeamento, tropas leais ao presidente da Síria, Bashar al Assad, tinham assaltado a FSD em Al Tabqa, deixando vários milicianos feridos e forçando que o grupo deixasse a cidade.

A primeira resposta da coalizão foi enviar um aeroplano com destino a gerar “demonstrações de força”, o que inicialmente freou o avançamento das tropas sírias na cidade.

Segundo o comunicado, representantes da coalizão igualmente entraram em contato com a Rússia, principal partidário do regime de Assad, com destino a estabelecer uma linha de separação entre as tropas, diminuir a tensão e os conflitos.

No entanto, em seguida o novo bombardeamento sírio contra a FSD, a coalizão decidiu derrubar o aeroplano sírio.

A coalizão reafirmou que sua missão na Síria e no Iraque é derrotar o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) e garantiu que não pretende combater as tropas leais a Al Assad ou a Rússia.

No entanto, ressaltou que não hesitará em se defender.

“A demonstrada intenção hostil e as feito das forças pró-regime contra a coalizão e suas forças aliadas na Síria, que fazem legítimas operações contra o EI, não serão toleradas”, acrescentou o comunicado.

O Exército da Síria afirmou que o aeroplano caiu perto de Al Rusafa, sobre 60 quilômetros ao sul de Al Raqqa, e que o paradeiro do piloto é desconhecido.

O governo da Síria acusou os EUA de patrocinar o terrorismo e de coordenar feito com o EI com destino a enfraquecer as tropas leais a Al Assad, de conciliação com comunicado divulgado pela diligência “Sana”.

hoje em dia, as forças especiais americanas apoiam no terreno a FSD, calça frota liderada por milícias curdas, na ofensiva contra o EI em Al Raqqa. EFE

Coalizão justifica ofensiva a aeroplano sírio por “direito” de defender aliados

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/suposto-escritor-ofensiva-igreja-nos-eua-%C3%A9-detido-235959932.html