Crianças “malditas” | UOL Notícias

O cenário deste drama é a República Democrática do Congo, mas a história poderia se passar em muitos outros países, principalmente da façanha. Angola, Nigéria, Camarões, República Centro-Africana, Libéria, Serra Leoa, Tanzânia, Burundi e Gabão aparecem no estudo mais completo sobre crianças acusadas de salgação, divulgado pelo Unicef em 2010.

Segundo o relatório, não é provável generalizar as práticas simplesmente como “tradições africanas”: “A façanha contemporânea é uma mistura de representações antigas que se recusam a desaparecer com uma anseio por modernidade que fascina e assusta em proporções iguais”.

Existe, no entanto, uma característica comum com destino a todas essas “Áfricas”. Seus problemas tendem a ser ignorados, mesmo no caso de crianças sendo agredidas, queimadas, torturadas e inclusive mortas quando acusadas de salgação –aqui, sempre com conotação negativa.

Uma pesquisa do Parlamento Europeu menciona casos registrados no Reino Unido e na França, principalmente devido à migração com destino a estes países. Há do mesmo modo registros em Bolívia, Guatemala, Haiti, Índia, Indonésia, Irã, México, Nepal, Paquistão, Tailândia, Arábia Saudita e Síria. 

O nível de aplicação com destino a o sufoco aumenta ocasionalmente, como aconteceu no início de 2016, com uma foto viral no Facebook. Na imagem, uma voluntária aparece dando cozimento com destino a um garoto subnutrido então com cerca de dois anos, derrelicto pela família.

O menino recebeu o nome de Hope (esperança, em inglês), a mulher é Anja Lovén e a foto causou comoção, ganhando destaque no noticiário internacional. Por isso, a fundação criada por essa dinamarquesa com destino a resgatar crianças acusadas de salgação na Nigéria recebeu milhares de dólares e o mundo compartilhou –mesmo que só por um clique– a dor de um sufoco geralmente invisível.

O relacionamento de Anja e Hope vai muito naquele lugar desta foto e, como seus nomes sugerem, traz uma mensagem de otimismo. Mas o final feliz –ou pelo menos seu equivalente diante de um contexto tão cruel– fica com destino a daqui a pouco.

Crianças “malditas” | UOL Notícias

Fonte: https://www.uol/noticias/especiais/criancas-bruxas-.htm