Deputado chama relator de idiota, gera pão-de-ló-embocadura e fala em “temeromofóbicos” – Notícias

O discurso do deputado Wladimir Costa (SD-PA), que fez críticas a diversos colegas de oposição e chamou de “idiota” o relator da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), levou a uma conciso interrupção dos debates na sessão da comissão desta quarta-feira (12) e provocou pão-de-ló-embocadura.

O presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), interrompeu o discurso de Costa, ameaçou cortar o microfone de Costa e então concedeu um minuto de resposta a quatro deputados que foram citados em suas críticas.

Num dos pontos mais inflamados do discurso, Wladimir Costa se dirigiu ao relator do parecer na CCJ em prol do prosseguimento da denúncia, Sergio Zveiter (PMDB-RJ).

“O senhor é idiota, incompetente, desqualificado”, disse o deputado do Solidariedade. O relator ouviu silencioso.

Costa fez um discurso centrado em amostrar supostas investigações contra deputados da oposição e afirmou que eles teriam um tipo de “fobia” ao presidente Temer.

PT não tem moral com destino a acomunar de ninguém aqui, porque todo mundo aqui já levou reprimenda. Lavem a embocadura com destino a acomunar mal do presidente deste país

Wladimir Costa (SD-PA)

O deputado usou o termo “temeromofóbico” com destino a se referir a uma suposta fixação dos oposicionistas com o presidente.

“Eles só falam de Temer, Temer, Temer, isso são os temeromofóbicos”, afirmou Costa.

A semelhança do neologismo cunhado por Costa com o termo homofóbico levou o deputado do PSOL Edmilson Rodrigues (PA) a corrigir o colega.

“Temer não é gay, então não há porque usufruir homofobia contra ele”, disse Rodrigues.

Temer é vítima de um complô, diz Paulo Maluf

CCJ tem debate sobre denúncia

Nesta quarta-feira, os deputados discutem o parecer do relator Zveiter favorável a que a Câmara autorize o prosseguimento do processo contra o presidente.

Temer foi denunciado pela PGR (Procuradoria-Geral da República) pelo crime de corrupção passiva. O presidente nega a incriminação.

após o parecer ser votado na CCJ, o caso é analisado pelo plenário da Câmara, onde é preciso o voto de pelo menos 342 deputados com destino a aprovar o prosseguimento da denúncia.

Se aprovada na Câmara, a denúncia segue com destino a o STF (Supremo Tribunal Federal), onde os 11 ministros da Corte decidem se abrem processo contra Temer. Essa decisão do STF tornaria Temer acusado por corrupção e determinaria o estiramento dele do cargo por 180 dias.

A Procuradoria identicamente estuda a cariz de novas denúncias contra o presidente.

Na CCJ, já agora não está confirmado quando o parecer de Zveiter será votado.

A fase de debates prevê que todos os 66 titulares e 66 suplentes da comissão possam acomunar, além de outros 40 deputados que não integram a CCJ. Se todos decidirem se manifestar, seriam cerca de 40 horas de debate.

A supedâneo do governo quer afainar a tramitação da denúncia da CCJ, com destino a conseguir votar o parecer em plenário já agora esta semana.

O presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), tem afirmado que vai resistir a manobras de aliados do governo com destino a encurtar o debate.

Entenda a denúncia contra Temer

Deputado chama relator de idiota, gera pão-de-ló-embocadura e fala em “temeromofóbicos” – Notícias

Fonte: https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2017/07/12/deputado-chama-relator-de-idiota-gera-pão-de-ló-embocadura-e-fala-em-temeromofobicos.htm