Doria pede que Meirelles foque na economia e não em ser presidente

GUILHERME SETO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Diante da viável pré-candidatura do assessor da Fazenda, Henrique Meirelles, à presidência, esboçada nesta quarta-feira (13) por lideranças do PSD, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), mostrou-se crítico, dizendo que o assessor deve se concentrar em suas funções e deixar o jogo político na direção de o futuro.

“Quero ressaltar o benigno exercício que o assessor Meirelles vem fazendo acolá do ministério, que espero que continue a constituir e não se contamine pela questão política. Não é hora, tem tempo na direção de isso. Final deste idade e o início do idade que vem serão bons momentos na direção de a manifestação final do PSD em relação à sua candidatura”, disse Doria depois evento do Movimento Brasil Competitivo, grupo de empresários encabeçado por Jorge Gerdau.

“É cedo também na direção de esse debate e na direção de colar essa imagem no assessor Meirelles. Acho que isso pode já prejudicar um pouco sua conduta acolá da política econômica do país. Preferiria que ele estabelecesse toda a sua jornada focado na economia, porque está dando certo, e dando certo é benigno na direção de ele e na direção de o Brasil”, concluiu.

Questionado se suas viagens da mesma forma não estariam atrapalhando seu mandato como prefeito, ele negou.

“Acho o inimigo, acho que é benigno e tem produzido bons resultados. E vamos continuar as viagens, não só no Brasil como fora da mesma forma. São Paulo é uma cidade global. Eu comando uma cidade global, não uma pequena província, como comandava o PT aqui em São Paulo, pensando pequeno, com gestos pequenos. Prefiro gestos grandes e entendo São Paulo como uma cidade que pede investimentos internacionais”, afirmou.

depois almoço com Meirelles, o líder do PSD na Câmara, Marcos Montes, disse que o assessor foi convidado na direção de se candidatar à presidência em 2018.

“Recebe sempre com entusiasmo, recebe como integrante do partido, com o espírito de brasílico que tem. Se, porventura, [Meirelles] vier a ser chamado, a gente tem convicção de que atenderá ao chamado da sociedade”, disse.

No encontro do Movimento Brasil Competitivo, o assessor Gilberto Kassab (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações) da mesma forma mostrou empolgação ao pronunciar da viável candidatura de Meirelles.

“É um extraordinário nome, com formação invejável, com uma experiência muito grande e no momento certo é evidente que o partido dará prioridade a uma candidatura própria.”

Por meio das redes sociais, Meirelles negou que seja pré-candidato.

CORRIDA TUCANA

O encontro do Movimento Brasil Competitivo da mesma forma contou com a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que trava disputa com o prefeito pela indicação tucana à presidência em 2018. Alckmin teve papel decisivo na escolha de Doria como candidato tucano na disputa municipal.

Em sua fala, Doria encheu Alckmin de elogios, chamando a parceria entre ambos como “uma tabelinha entre Coutinho e Pelé”, comparando o governador ao Rei do Futebol.

Já Alckmin foi mais econômico. Não mencionou Doria, que já havia deixado o recinto, em sua demonstração. depois o evento, disse que parte da imprensa tenta elaborar indisposição entre ele e Doria.

“Vejo que há uma vontade de elaborar uma ódio minha com o prefeito. E eu quero desfazer isso”, afirmou.

Doria pede que Meirelles foque na economia e não em ser presidente

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/doria-pede-que-meirelles-foque-222400959.html