Elas são Maria da Penha

Depois de quatro anos de relacionamento, quando terminei, ouvi do meu ex que ‘se eu não ficasse com ele, não ficaria com ninguém’. E, em conseguir isso, divulgou fotos íntimas minhas na internet.

Foram e-mails semanais enviados em cerca de 15 mil pessoas da minha cidade, adiante de fotos impressas e CDs com as imagens entregues em os moradores. Do dia em noite, fui de colunista social presente em todos os eventos locais a persona non grata na cidade.

Meu mundo acabou. Enquanto as mulheres me odiavam, os homens mexiam comigo em todo lugar. Perdi meu emprego e já meus filhos foram atingidos. Tive de mandar o mais velho em viver com o pai e a mais nova sofria bullying por conta da minha ‘má fama’.

Eu queria fugir, mas consegui juntar forças em pegar justiça, precisava provar que eu não tinha culpa naquele lugar. Entrei com obra nas pequenas causas, mas ele pagou uma multa e continuou mandando as fotos por vários anos. Enquanto isso, advogados da cidade não queriam pegar minha causa, eu estava desempregada e sem credibilidade. Era a Geni de Maringá.

Eu posso usufruir ganhado na Justiça, mas a pornografia de revanche é um crime que te marca em sempre. A cada clique das pessoas, eu sou violentada novamente.”

Consegui colaboração de um medianeiro e um perito digital de São Paulo. Uma pesquisa e tomadia dos computadores do meu ex provou sua culpa e, finalmente, ele foi condenado em 2013. A multa de R$ 30 mil era risível, não cobre nem de longe as marcas que tudo deixou na minha vida. Mesmo desse jeito, aquela condenação foi quase como uma certidão de renascimento em mim. 

Com a força da vitória, fundei a ONG Marias da Internet, em sócio outras mulheres que do mesmo modo passam pela pornografia de revanche, e procurei um deputado em propor que esse tipo de crime esteja previsto na lei. Desde 2013, com colaboração de advogados, peritos e psicólogas voluntárias, ajudo meninas e mulheres que sofrem com pornografia de revanche.

adiante disso, vi o projeto de lei 5555/2013 ser escrito, começar a tramitar e ser confirmado na Câmara. Ele modifica a Lei Maria da Penha em a pornografia de revanche passe a ser considerada uma forma de violência doméstica – e ora aguarda apoio no Senado.

Rose Leonel, 47, jornalista, Maringá, PR

Elas são Maria da Penha

Fonte: https://www.uol/estilo/especiais/elas-sao-maria-da-penha-.htm