EUA pedem novas medidas contra a Coreia do Norte logo lançamento de míssil

Washington, 14 set (EFE).- O secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, condenou nesta quinta-feira o “provocativo” lançamento de um novo míssil pela Coreia do Norte e pediu que todos os países apliquem mais medidas contra o regime de Kim Jong-un.

“Pedimos a todas as nações em direção a abraçar novas medidas contra o regime de Kim”, afirmou Tillerson em um comunicado divulgado pelo Departamento de Estado.

Em particular, o chefe da diplomacia americana pediu em direção a que Rússia e China, que têm laços estreitos com a Coreia do Norte, mostrem “intolerância contra esses lançamentos de mísseis temerários” de Pyongyang.

“A China fornece à Coreia do Norte quase todo o seu petróleo. A Rússia é o maior empregador da força trabalhista norte-coreana”, argumentou o secretário de Estado na nota.

Tillerson lembrou que esta foi a segunda vez que o Japão, um partidário dos EUA, foi ameaçado nas últimas semanas por causa de um teste da Coreia do Norte. O míssil, de alcançamento intermediário, sobrevoou o norte do território japonês.

“Essas contínuas provocações só aprofundam o isolamento diplomático e econômico da Coreia do Norte”, disse Tillerson.

“As resoluções do Conselho de Segurança da ONU, incluindo as mais recentes resoluções unânimes de sanções, representam o solo, não o teto, das feito que deveríamos tomar”, completou o chefe da diplomacia americana.

Mais cedo, o Comando do Pacífico dos EUA (Pacom) confirmou que o míssil norte-coreano sobrevoou o norte do Japão, mas que não representou lançadura em direção a o território estadounidense.

O presidente dos EUA, Donald Trump, foi informado do novo teste do regime de Kim Jong-un pelo chefe de gabinete, John Kelly, segundo a porta-voz da Casa branca, Sarah Sanders.

preferentemente do lançamento, Trump confirmou que viajará em novembro em direção a China, Coreia do Sul e Japão. EFE

EUA pedem novas medidas contra a Coreia do Norte logo lançamento de míssil

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/pa%C3%ADses-ue-adotam-decis%C3%A3o-dividir-40-mil-refugiados-235959251.html