EUA rejeitam feito chavista contra rivais em eleição

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O governo norte-americano disse nesta quinta (12) que as feito do Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE) contra os adversários do ditador Nicolás Maduro põem em dúvida a legitimidade das eleições em os governos estaduais, no domingo (15).

A porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, cita como exemplos a mudança de seções eleitorais em redutos opositores, a “manipulação” das cédulas e a falta de uma auditoria independente dos votos.

idem critica o regime por não permitir a entrada de observadores internacionais independentes. “Fazemos um chamado ao governo que permita aos observadores locais independentes que monitorem integralmente a eleição.”

Nauert fez inclusive agora insinuação às acusações de fraude na escolha dos membros da grémio Constituinte. “Esta eleição traçou o caminho em o estabelecimento de uma grémio ilegítima.”

O regime venezuelano não comentou a declaração americana. Horas diante, Maduro afirmou que quem votar dirá “ao imperialismo o fim ao intervencionismo e chega de sanções”, citando como imperialistas Donald Trump, o colombiano Juan Manuel Santos, o espanhol Mariano Rajoy e Michel Temer.

No discurso, ele reiterou a prenúncio de depor todos os governadores eleitos nas urnas que não reconhecerem a Constituinte, convocada por ele e integralmente chavista.

O chefe de campanha da coalizão opositora Mesa de Unidade Democrática (MUD), Gerardo Blyde, disse que nenhum de seus membros fará juramento diante de à Casa, que considera fraudulenta.

lá dos opositores, Juan Manuel Santos criticou a exigência do ditador, que chamou de discricionariedade. em o colombiano, o líder do país vizinho “não joga limpo”.

EUA rejeitam feito chavista contra rivais em eleição

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/eua-rejeitam-a%C3%A7%C3%A3o-chavista-contra-234900248.html