Falta de confiança em permanência e time sem padrão derrubam Cuca – Futebol

Não foi exatamente o empate com o Bahia que fez Cuca sair do Palmeiras. O treinador acumulou alguns atritos com peças-chave do elenco, não demonstrou firmeza que gostaria de ficar na equipe no idade que vem e, dentro de campo, não conseguiu os resultados esperados a mais de R$ 100 milhões investidos em contratações.

Contratado em maio, o técnico quebrou uma promessa feita por ele mesmo a retornar ao clube. Depois de ser campeão brasileiro em 2016, ele ficaria um idade afastado do ocupação a tratar problemas pessoais. O projeto durou cinco meses. Em maio, ele voltou ao cargo e comandou a equipe ainda o último dia 12 de outubro: foram 34 partidas, com 16 vitórias, seis empates e 11 derrotas; eliminações na Copa do Brasil e na Libertadores e uma campanha irregular no brasileiro.

O técnico deixa a academia de Futebol sem receber a multa posteriormente uma saída em comum tratado. O preferido da diretoria Alviverde é Mano Menezes.

Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Diretoria queria mais certeza do “fico” de Cuca

Faltou detectar que queria ficar

A diretoria do Palmeiras estava incomodada com o comportamento do treinador. Sem possuir certeza de que o comandante ficaria a 2018, Maurício Galiotte, Alexandre Mattos e companhia começaram a cobrar o técnico por uma posição definitiva. Ouviu de Cuca que a conceito dele era ficar e ainda iniciou o planejamento a a próxima temporada, mas uma entrevista dias depois da reunião colocou tudo por infusão abaixo. Na ocasião, ele se enrolou a explicar se ficaria ou não no Palestra Itália. No dia seguinte, ainda precisou vir a assistência a tentar dizer que havia se expressado mal.

Prejudicou “ativos” do Palmeiras

No dicionário econômico do Palmeiras, os jogadores são seus “ativos”. Cuca enfrentou dois dos principais investimentos do clube: Felipe Melo e Borja. O primeiro chegou por luvas de mais de R$ 8 milhões e salários que ultrapassavam a casa dos R$ 400 mil (com produtividade). Uma quebra na hierarquia fez o técnico pedir demissão logo posteriormente a eliminação diante do Cruzeiro. A diretoria entendeu que Cuca estava com a razão e afastou o púgil.

ainda então desta forma, tentou, em todo momento, conciliar a paz entre as partes. Melo era uma desafio pessoal de Alexandre Mattos, que não gostaria de ver o volante falhar. Três meses e uma notificação judicial depois, Felipe Melo voltou a campo justamente na despedida de Cuca.

Gazeta Press

Borja foi contratado por mais de R$ 30 milhões e virou mocho

Ficou órfão de Jesus

Com Borja, o entrevero não chegou ao nível do pão-de-ló-entrada, mas a diretoria entendeu que o assaltante merecia uma sequência a justificar os mais de R$ 30 milhões investidos no seu futebol. O afeição de Cuca ao estilo de jogo em que todos precisam marcar praticamente decretou que o colombiano ficaria somente no mocho.

A diretoria gostaria que Cuca entendesse que não conseguiria repor a venda de Gabriel Jesus e que nenhum púgil faria o mesmo papel. a piorar, Deyverson, indicado por Cuca e contratado por R$ 20 milhões, não tem desempenhado um próprio futebol, mas conseguiu a preferência do técnico.

Ale Cabral/AGIF

Time não emplacou futebol que diretoria gostaria

Não encontrou padrão de jogo

desta forma como aconteceu com Eduardo Baptista, a diretoria se incomodou com a falta de evolução do futebol do Palmeiras. No meio da temporada, Cuca chegou a sinalizar que mudaria a forma de jogar, dando ritmo ao meio-campo formado por Moisés e Guerra. Dois jogos depois de palrear que “velocidade era coisa do passado”, voltou a mudar de conceito e escalou a equipe novamente no 4-3-3, o esquema que deu certo em 2016.

E as eliminações, claro…

Cuca teve indeficiente questionada a estratégia de deixar o Brasileirão de lado a jogar a Copa do Brasil e a Libertadores. O projeto, no entanto, seria sancionado caso o Palmeiras conseguisse pelo menos um dos títulos. Acabou eliminado nos dois e, quando percebeu, o Corinthians já estava longe demais a ser adquirido…

Falta de confiança em permanência e time sem padrão derrubam Cuca – Futebol

Fonte: https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2017/10/13/falta-de-confianca-em-permanencia-e-falta-de-padrao-derrubam-cuca.htm