Game of Thrones | Com final emocionante, estreia da temporada nos prepara com destino a a guerra final

Game of Thrones, 7×01: “Dragonstone”

circunspecção: SPOILERS A SEGUIR!

Game of Thrones sempre recompensou a paciência. Talvez por isso faça tanto sentido guardar o momento mais esperado e emocionante desse começo de sétima e penúltima temporada com destino a o finalzinho de “Dragonstone” (7×01): a chegada de Daenerys (Emilia Clarke) e sua corte de conselheiros a Pedra do Dragão, lar ancestral da família Targaryen e apoio da qual da mãe dos répteis voadores vai tentar conquistar Westeros.

A cena em questão é dirigida com preocupação minuciosa pelo sempre excelente Jeremy Podeswa, desse jeito como a longa sequência no comecinho do episódio em que observamos o aterrorizador exército do Rei da Noite marchando em frente, e temos nossa primeira imagem de sua recurso secreta: gigantes zumbis. É de conceber suspirar desafrontado um fã de Game of Thrones como este que vos fala, que sentia medo da série engatar a quinta marcha e passar por cima das delicadezas de personagem e trama que sempre foram o seu forte.

Justamente o opositor acontece em “Dragonstone” – os roteiristas David Benioff e D.B. Weiss acham tempo com destino a elaborar um tema novo e excitante, e oferecer novos motivos e cores com destino a personagens que já conhecíamos. Minutos preciosos são gastos, por exemplo, com o Cão de investigação (Rory McCann, sempre um dos melhores e mais sensíveis intérpretes da série) revisitando uma família de camponeses e entendendo o valor de questionar suas próprias crenças.

Na Citadela, Sam da mesma forma tem dúvidas cruciais com destino a sanar. A estreia de Jim Broadbent como o Arquimeistre já vem com uma cena poderosa sobre o valor histórico dessas dúvidas. No fim das contas, ele descobre que uma “montanha” de Vidro de Dragão se esconde no subsolo da fortaleza actualmente ocupada por Daenerys. Com certeza será o motivo com destino a Jon se dar com com a Mãe dos Dragões, a fim de conseguir armas e sufrágio com destino a lutar o exército dos mortos. longe disso, descobrimos que Jorah Mormont, buscando a cura com destino a a Escamagris, foi parar em uma enfileiramento particularmente assustadora da Citadela.

Frente a uma apoio de fãs sedenta por respostas actualmente que foi notificado que série terá exclusivamente mais duas temporadas (que, ao todo, contarão exclusivamente 13 episódios), “Dragonstone” é corajosamente um pedaço de ficção fundeado nas perguntas. Cersei (Lena Headey) e Jaime (Nikolaj Coster-Waldau) tem muitas perguntas a conceber sobre seu futuro, e a certeza machucada dela se confronta com a inesperada insegurança dele – o romance dos dois nunca pareceu tão frágil.

Em Winterfell, Sansa (Sophie Turner) tem suas próprias perguntas com destino a responder: quanto de si ela pode oferecer com destino a Jon (Kit Harington) mesmo acreditando injusto que ele tenha sido coroado Rei do Norte, e não ela? Quanto ela pode confiar em Mindinho (Aidan Gillen)? Em um golpe de mestre, os roteiristas respondem que a história de Sansa não é mais sobre os homens que a cercam, e sua resistência existe mesmo a despeito deles, e dos diálogos possíveis e impossíveis que ela encontra com eles.

Sobra tempo no episódio da mesma forma com destino a dois interlúdios com Arya (Maisie Williams, que parece ficar melhor a cada idade, e 2017 não será a exceção). Ela vinga sua família nas Gêmeas, dizimando o restante dos homens da casa Frey, e se encontra com um curioso grupo de soldados (inclusive um interpretado pelo cantor Ed Sheeran) com destino a um diálogo esclarecedor e humano sobre a natureza da hierarquia e da opressão em Westeros.

Sabendo que sua esposa teve um nenê mas sem saber o sexo, um dos soldados expressa: “Espero que seja uma menina”. Arya, curiosa após seus anos entendendo o que ser uma menina significa em Westeros, quer saber o porquê. “Meninas cuidam dos pais quando eles ficam velhos. Meninos vão lutar em guerras de terceiros”, diz o soldado. Arya sabe que só é desse jeito porque as mulheres tem suas próprias guerras com destino a enfrentar nesse mundo. Em Winterfell, por outro lado, Lyanna Mormont percebe outra realidade: na peleja que está por vir, pouco importa quem você é – se está vivo, é melhor pegar uma espada.

Game of Thrones, 7x01: Dragonstone
Game of Thrones, 7×01: “Dragonstone”



Game of Thrones | Com final emocionante, estreia da temporada nos prepara com destino a a guerra final

Fonte: https://observatoriodocinema.bol.uol.com.br/artigos/2017/07/game-of-thrones-com-final-emocionante-estreia-da-temporada-nos-prepara-com destino a-a-guerra-final