Governo venezuelano denuncia deputados opositores por traição à pátria

O governo venezuelano denunciou criminalmente nesta segunda-feira um grupo de deputados opositores por “traição à pátria”, um crime castigado com inclusive 30 anos de prisão, por supostamente promover uma intervenção estrangeira.

O recurso, que não detalha as identidades dos parlamentares denunciados, foi apresentado diante do procurador-geral, Tarek William Saab, de linha chavista, posteriormente a chamada “marcha anti-imperialista” que convocou centenas de pessoas no centro de Caracas.

“Solicitamos que sejam sancionados por delitos de traição à pátria”, diz o texto entregue a Saab, que foi lido de forma resumida durante a mobilização.

Embora o documento não mencione nenhum dirigente, os manifestantes acusaram presidente do parlamento, Julio Borges, e a seu vice-presidente, Freddy Guevara, a quem o presidente Nicolás Maduro pediu que julgasse.

A oposição domina o Legislativo com uma ampla maioria, mas suas decisões são consideradas nulas pelo Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) -indiciado de servir o governo de Maduro-, que o considera em “desacato”.

Se a Procuradoria deparar razões na direção de processar os parlamentares, poderá solicitar uma tento de mérito ao TSJ, a fim de que suspenda suas imunidade e os submeta a julgamento.

“Vale dizer que hoje temos um procurador que realiza justiça”, destacou no ação Darío Vivas, membro da corro Constituinte que rege a Venezuela com poderes absolutos desde 4 de agosto.

Esse órgão assumiu várias funções do Parlamento e no dia 29 de agosto anunciou que processará líderes opositores por “traição à pátria”.

Segundo a denúncia penal, deputados de oposição estimularam uma “intervenção estrangeira e derrubar” Maduro.

A denúncia chega depois que na semana passada, durante uma viagem pela Europa, Borges recebeu o registo do presidente francês, Emmanuel Macrón, do chefe do governo espanhol, Mariano Rajoy, da chanceler alemã, Angela Merkel, e da primeira-ministra britânica, Theresa May.

O texto retoma a inculpação de Maduro de que Borges similarmente impulsiona um “obstrução econômico” junto com o presidente americanos, Donald Trump, que decretou sanções que impedem o governo venezuelano e a petroleira estatal Pdvsa negociar novos bonificação da dívida pública.

A coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) apoiou essas sanções, mas rejeitou a esperança de uma intervenção militar planejada por Trump frente à grave crise política e econômica do país petroleiro.

Governo venezuelano denuncia deputados opositores por traição à pátria

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/governo-venezuelano-denuncia-deputados-opositores-trai%C3%A7%C3%A3o-%C3%A0-p%C3%A1tria-225753553.html