Irã acusa EUA de violação do concordância nuclear, no início do segundo mandato de Rohani

O Irã condenou nesta quinta-feira as novas sanções americanas, que chamou de “violação” do concordância sobre seu programa nuclear, no dia em que começa o segundo mandato do presidente Hassan Rohani, pressionado em seu país.

Durante uma cerimônia oficial, o guia supremo acolá Khamenei “ratificou” a eleição de Rohani em maio, uma etapa forma essencial no sentido de o início do segundo e último mandato do presidente moderado, que prestará juramento diante de o Parlamento no sábado.

Apesar de sua eleição triunfal, Rohani é criticado no Irã, onde os conservadores o acusam de portar feito muitas concessões às grandes potências sem escutar as suas advertências sobre os Estados Unidos, grande inimigo da República Islâmica.

O concordância assinado em julho de 2015 entre o Irã e as grandes potências (Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia, China e Alemanha) limita o programa nuclear iraniano ao uso civil em troca da suspensão progressiva das sanções internacionais.

Ao concorrente da governo americana prévio de Barack Obama, o governo de Donald Trump adotou uma porte hostil a respeito do Irã e critica o concordância nuclear.

O Congresso norte-americano aprovou novas sanções contra o Irã, que envolvem seu exército de elite, a Guarda Revolucionária, desse jeito como o programa balístico de Teerã. a modo dos direitos humanos e o sufrágio de Teerã a grupos como o movimento xiita libanês Hezbollah, que Washington classifica como terrorista.

“Acreditamos que o concordância nuclear foi violado e, portanto, vamos reagir de forma apropriada”, disse o vice-assessor iraniano das Relações Exteriores, Abas Araghchi.

Irã e Estados Unidos não mantêm relações diplomáticas desde 1980.

“O objetivo principal da lei americana é espaventar as grandes empresas e impedir que cooperem com o Irã. Mas comprovamos que a política dos países europeus vai contra isso”, completou Araghchi.

No fim de junho, o Senado norte-americano aprovou quase por unanimidade um projeto de lei que já havia sido votado na Câmara de Representantes no sentido de impor sanções contra Rússia, Irã e Coreia do Norte. O presidente Trump promulgou as medidas na quarta-feira.

A comissão iraniana que supervisiona a destinação do concordância, integrada por Rohani e outras autoridades, “adotou 16 medidas que incluem uma série de reações contra a ação dos Estados Unidos”, completou Araghchi, sem revelar mais detalhes.

“Depois da promulgação da lei de sanções contra o Irã por Trump entramos em uma nova etapa e o Parlamento vai professar sua própria lei em reação à lei americana”, disse Araghchi.

O Parlamento iraniano começou a comentar um projeto de lei no sentido de reforçar o programa balístico do país e a força Qods da Guarda Revolucionária no sentido de “lutar contra as sanções dos Estados Unidos”.

afora dos ataques dos conservadores, Rohani muito como é criticado entre os reformistas por não portar concedido espaço suficiente a esta renque em seu governo, que apresentará no sábado ao Parlamento.

muito como é criticado por não portar nomeado nenhuma mulher no sentido de o ministério.

Mas o presidente recebeu o sufrágio dos principais comandantes da Guarda Revolucionária, em seguida uma troca de ataques nos últimos meses.

Irã acusa EUA de violação do concordância nuclear, no início do segundo mandato de Rohani

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/ir%C3%A3-acusa-eua-viola%C3%A7%C3%A3o-concordância-nuclear-in%C3%ADcio-segundo-113447915.html