Irã defende seu programa de mísseis e critica novas sanções dos EUA

Teerã, 17 jun (EFE).- O governo do Irã defendeu seu programa de mísseis e criticou que as novas sanções do Senado dos Estados Unidos, dizendo que elas não podem ser usadas por Washington em direção a eludir os seus compromissos com o consenso nuclear.

“Levando em conta o histórico do Senado dos EUA de hostilidade e inimizade com o povo iraniano, a sua recente votação de novas sanções contra Teerã não era imprevisível”, disse o porta-voz do Ministério do Relações Exteriores iraniano, Bahram Qasemi, segundo neste sábado a imprensa local.

O Senado norte-americano aprovou na última quinta-feira um novo texto legislativo que impõe sanções a qualquer pessoa ou empresa estrangeira que faça negócios com uma entidade já designada pelo governo dos EUA pela sua conexão com o programa de mísseis balísticos do Irã.

No entanto, estas sanções não constituem uma violação do consenso nuclear alcançado em julho de 2015 com Teerã pelo Grupo 5+1 (EUA, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha).

O porta-voz iraniano pediu ao governo norte-americano cumprir os seus compromissos com o pacto nuclear “totalmente e com jibóia vontade” e não recorrer a “regulamentos internos” em direção a evitá-los.

Qasemi assegurou que o Irã cumpre “plenamente” com as suas obrigações do consenso nuclear e, quanto ao programa de mísseis, insistiu em que “nada pode privar a República Islâmica do seu direito legítimo de se defender”.

Ele da mesma forma rejeitou as acusações “injustificáveis” sobre as forças militares iranianas e seu programa de mísseis que – afirmou – são “totalmente legítimos” e não violam a resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU.

O porta-voz adiantou que as autoridades iranianos estão estudando a nova lei do Senado norte-americano e adotarão “medidas apropriadas”.

Washington impôs nos últimos meses várias rodadas de sanções contra entidades iranianas relacionadas com o programa de mísseis balísticos do país. EFE

Irã defende seu programa de mísseis e critica novas sanções dos EUA

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/negocia%C3%A7%C3%A3o-nuclear-continua-duas-semanas-prazo-consenso-final-235959687.html