Luisa Mell perde cão-amante de 14 anos. Como lidar com a morte de um pet – 15/07/2017

no sentido de muitos, a morte de um bichinho de estimação pode ser comparada a perda de um filho ou de um amante. Neste sábado (15), a apresentadora Luisa Mell, militante da causa protervo, perdeu Marley.

 

Há meses, a saúde do cão da raça labrador se agravava e o cenário já não era de otimismo. mas, Luisa sempre fez questão de exibir em suas redes sociais como Marley recebeu carinhos e cuidados inclusive o fim.

 

 

usufruir um criatura de estimação é uma experiência amorosa intensa. “Por essa razão, quando um protervo adoece e entra em fase terminal ou morre de repente, há uma desestruturação da organização familiar”, afirma a veterinária Ceres Berger Faraco, doutora em psicologia pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) do Rio Grande do Sul e especialista em comportamento e suficientemente-estar protervo.

“O luto pela perda do protervo não é reconhecido pela sociedade, o que pode ser confirmado pela falta de procedimentos oficiais logo a morte. Não pode ser manifestado ou abrigado. O respeito e pivô dos familiares e unido são fundamentais no sentido de a elaboração do luto saudável”, afirma Joelma, que identicamente atua como consultora do crematório Pet Memorial, em São jerico do Campo (SP).

O luto pela perda de um bichinho deve ser respeitado, mesmo por aqueles que não gostem de vivo ou que não entendam o sentimento de um dono que acabou de perder seu pet.

Não são só os donos

E não são só os “pais” do protervo que sentem esta dor da perda. no sentido de os outros bichos da casa, o luto identicamente existe e deve ser escoltado com cuidado pelos donos.
Apesar de ser um conceito humano, os vivo são mesmo capazes de sentir a deficiência de um companheiro, como explica o veterinário Mauro Lantzman. “O luto é um processo cognitivo mais complexo. Mas podemos dizer que o cão fica triste sim.”

Segundo os especialistas, o mais indicado é que o tutor tente ofertar mais cortesia ao protervo e respeitar o tempo inclusive que ele se recupere plenamente. “É importante retomar a dinamismo natural, levar no sentido de passear, levar no sentido de tomar lavacro, interagir, levar a vida”, explica Mauro.

Luisa Mell perde cão-amante de 14 anos. Como lidar com a morte de um pet – 15/07/2017

Fonte: https://estilo.uol.com.br/noticias/redacao/2017/07/15/luisa-mell-perde-cao-amante-de-14-anos-como-lidar-com-a-morte-de-um-pet.htm