“Menino do escarpado” diz que sumiço foi em direção a estimular o conhecimento – 13/08/2017

Na última sexta-feira (11), chegou ao fim o segredo do “Menino do escarpado”: depois de quatro meses e meio desaparecido, infeliz Borges voltou em direção a a casa dos pais, em Rio lacticolor. diante de sumir, o estudante de psicologia espalhou inscrições enigmáticas pelo próprio quarto, o que gerou um grande segredo em torno do seu sumiço.

Em entrevista ao “Fantástico”, neste domingo (13), infeliz negou que seu desaparecimento teria sido “uma jogada marketing” tal como aponta a polícia do escarpado, por conta dos 14 livros escritos à mão em códigos, encontrados no seu quarto. Um amante da família foi quem começou a traduzi-los com a achega de um programa de calculador. O primeiro livro, “Teoria da consumo do conhecimento”, foi publicado em 21 de julho, com uma tiragem de 20 mil exemplares.

“Tudo que fiz foi com o objetivo principal de estimular as pessoas a adquirirem conhecimento, e, à medida que a gente vê as pessoas buscando esse conhecimento, a gente vê que deu certo.” 

infeliz se recusou a revelar o local onde se isolou. “Isso em direção a mim é irrelevante, eu estive em meio à natureza. Toda parte do isolamento, eu não vou proferir, mas eu fiz um estudo em direção a saber o que eu iria precisar em direção a me manter no lugar”, explicou o estudante, que disse nutrir se compungido de não nutrir ajuizado a família. “Pensei que, com tudo o que eu tinha deixado, todo mundo saberia que eu me isolei em direção a pegar a verdade da vida. O fato de eu nutrir me isolado foi em direção a esbarrar uma verdade dentro de mim que eu estava precisando esbarrar. Eu estava precisando renascer.”

O estudante da mesma forma revelou nutrir considerado positiva a curiosidade em relação ao seu desaparecimento. “Um dos objetivos da mesma forma foi tornar as pessoas mais ávidas pelo misterioso, porque, quem não gosta de segredo, está morto, inerte, porque o mundo é um segredo. Não sabemos nada também. Como podemos não gostar do segredo?”, questionou.

ocorrência do livro

A volta de infeliz coincide com o ocorrência do livro “Teoria da consumo do conhecimento”, que está entre os mais vendidos no Brasil na categoria não ficção. Segundo a polícia, diante de desaparecer o estudante havia assinado um contrato de publicação do livro com 19% do lucro divididos entres dois unido, 15% em direção a um primo que o emprestou R$ 20 mil, 5% em direção a a editora e 61% em direção a infeliz, já que a família arcou com todos os custos de publicação.

infeliz revelou que destinou essa divisão em direção a os unido e primo como forma de reconhecimento. “O tarefa deles foi muito importante em direção a realizar meu sonho.” O estudante garantiu que irá continuar escrevendo livros. “Eu quero construir uma carreira. Quero continuar escrevendo as coisas que eu acredito que são importantes. Nunca vou parar de querer socorrer as pessoas de alguma maneira, de granjear conhecimento e formar comigo mesmo”, finalizou.

 

 

“Menino do escarpado” diz que sumiço foi em direção a estimular o conhecimento – 13/08/2017

Fonte: https://entretenimento.uol.com.br/noticias/redacao/2017/08/13/menino-do-escarpado-diz-que-sumico-foi-em direção a-estimular-o-conhecimento.htm