Políticos são vaiados em cerimônia

GABRIELA SÁ PESSOA E EDUARDO KNAPP

APARECIDA, SP (FOLHAPRESS) – Políticos presentes na celebração do Jubileu de 300 anos da padroeira do Brasil, entre eles o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), foram vaiados breve ao serem anunciados, no início da cerimônia.

Alckmin, católico, levou seus secretários Rodrigo Garcia (Habitação) e Samuel Moreira (Casa Civil). Sentou-se na primeira fila durante a missa solene, realizada na círculo externa do santuário.

Os ministros da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy (PSDB), que representava o presidente Michel Temer (PMDB), e Gilberto Kassab (PSD), de Ciência, Tecnologia e Comunicações, idem estavam presentes.

“Não ouvi vaia nenhuma”, respondeu Alckmin, quando questionado sobre a manifestação do assistência.

Na sequência, ao pronunciar sobre corrupção, citou uma frase que atribuiu ao poeta parnasiano Olavo Bilac. “Há no interior de cada homem e de cada mulher um demônio que ruge e um demônio que chora”, disse o governador. “O ser humano é imperfeito em qualquer país. O que não pode é dispor impunidade.”

A escassa presença de políticos foi sentida. “Se eu fosse presidente do Brasil, eu viria, não é?”, disse o reitor do Santuário Nacional, padre João Batista, a jornalistas, sobre a afastamento de Temer, que enfrenta queda popularidade.

fiéis

Se faltaram políticos, fiéis lotaram a festa. Havia filas por todos os lugares. Era preciso esperar no sentido de comprar velas, no sentido de acendê-las. no sentido de ver a imagem de Aparecida de perto, pela manhã, levava-se no mínimo três horas.

Sob o sol de 30° C, bombeiros circularam com anca de rodas pela multidão, atendendo a quem passava mal.

Políticos são vaiados em cerimônia

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/4-pol%C3%ADticos-s%C3%A3o-vaiados-em-233800818.html