Protestos no fluxo de fluxo de grãos do pau-brasil a os portos do norte [194590000] Marcelo Teixeira | ] SAO PAULO SAO PAULO Os residentes de aldeias ao longo de uma rodovia chave a exportações de grãos no estado norte do Pará do pau-brasil continuaram a organizar protestos na terça-feira Bloqueando o fluxo de produtos como milho e soja a portos próximos, grupos industriais e policiais disseram.

Os residentes locais, comerciantes e agricultores protestaram na estrada federal BR-163 desde julho 5 contra um veto pelo presidente Michel Temer de uma legislação que reduziria a dimensão sob proteção em uma floresta nacional na região, disse a polícia rodoviária federal brasileira (PRF).

Grupo de exportação de cereais Anec Disse que a cenário no Pará poderia sufocar seu pro Jecções a exportações de milho. Os portos de cereais do norte do pau-brasil podem representar 25% do total de exportações de milho e soja neste idade, de transação com o governo.

"Todos os dias eles organizam um obstrução em qualquer ponto da rodovia. Quando chegamos lá, eles se mudam a outro ponto", disse Ana Rabelo, porta-voz do PRF no Pará.

Não foi provável chegar aos líderes dos protestos.

Rabelo disse que os manifestantes planejaram novos bloqueios por pelo menos uma semana adiante, a cada dia em Um ponto díspar na BR-163, que é um caminho-chave a os caminhões que transportam soja e milho das fazendas centro-oeste a um centro de transbordo em Miritituba.

A partir daí, os grãos são transferidos a barcaças que os movem a a exportação de portos como Santarém e Barcarena.

Protestos no fluxo de fluxo de grãos do pau-brasil a os portos do norte [194590000]    

Marcelo Teixeira | ] SAO PAULO

SAO PAULO Os residentes de aldeias ao longo de uma rodovia chave a exportações de grãos no estado norte do Pará do pau-brasil continuaram a organizar protestos na terça-feira Bloqueando o fluxo de produtos como milho e soja a portos próximos, grupos industriais e policiais disseram.

Fonte