Trump vai se reunir com Temer e outros presidentes sul-americanos de olho na Venezuela

Por Anthony Boadle

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, convidou três líderes sul-americanos a jantar com ele na semana que vem em Nova York, enquanto pesquisa enfrentar a crise da Venezuela e construir pontes com a região logo um início custoso com o vizinho México.

A turbulência política e econômica na Venezuela, fonte de 10 por cento do petróleo consumido pelos Estados Unidos, estará na facienda quando ele receber os presidentes de Brasil, Peru e Colômbia na Trump Tower na noite de segunda-feira, disseram diplomatas.

“Trump precisa ostentar que tem bons unido na região que compartilham uma facienda positiva com os Estados Unidos, mas não tenho certeza de que ele vai conseguir o que quer”, disse um diplomata brasileiro, que pediu a não ser identificado a poder a dizer livremente sobre o argumento.

Autoridades da Casa branca confirmaram que Trump vai jantar com líderes latino-americanos na noite de segunda-feira e que a Venezuela deve ser o principal tópico da conversa. Cuba do mesmo modo será discutida, segundo uma das autoridades.

O jantar com Trump será o primeiro compromisso do presidente Michel Temer na visita aos Estados Unidos a participar da junta Geral das Nações Unidas, informaram à Reuters fontes governistas na segunda-feira. [nL2N1LT008]

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, que deixará o cargo logo as eleições do próximo idade, decidiu não participar.

Trump irritou o México, principal parceiro comercial do país na América Latina, ao acusá-lo de roubar empregos dos EUA, querer desarrimar o contrato de Livre Comércio da América do Norte e insistir que os mexicanos paguem por um muro fronteiriço que planeja construir a evitar imigrantes ilegais.

Trump não possui grandes iniciativas em curso com outros países da América Latina. Na verdade, dois dos três convidados da segunda-feira – Colômbia e Peru – são membros da Parceria Transpacífico, da qual os Estados Unidos se retiraram pouco depois que ele assumiu o cargo.

Na quarta-feira, Trump aborreceu a Colômbia, nação sul-americana com os laços mais próximos de Washington, ao querer colocá-la na lista negra por não conseguir interromper o incremento da produção de cocaína, cuja maioria acaba sendo vendida nas ruas das cidades norte-americanas.

No entanto, a preocupação compartilhada sobre como lidar com a Venezuela, onde pelo menos 125 pessoas foram mortas em quatro meses de manifestações contra o governo socialista, dominará o jantar de segunda-feira, de contrato com o especialista em América Latina Michael Shifter.

“Trump e sua equipe estão muito preocupados com a Venezuela e querem consultar os vizinhos dela, Colômbia e Brasil, e o presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, que assumiu um papel de liderança na questão venezuelana na região”, disse Shifter, presidente do Inter-American Dialogue, um grupo de políticas com sede em Washington.

Milhares de venezuelanos entraram na Colômbia e no Brasil, fugindo do país produtor de petróleo, que, segundo opositores do presidente Nicolás Maduro, se tornou uma ditadura.

Embora os líderes latino-americanos que vão se dar com com Trump tenham ampliado a pressão sobre Maduro a libertar prisioneiros políticos e realizar eleições gerais, é improvável que aceitem sanções econômicas unilaterais mais duras, defendidas pelo presidente dos EUA.

“A Colômbia e o Brasil preferem uma solução negociada a a crise e não sanções econômicas que prejudicam o povo venezuelano mais do que o governo”, disse o diplomata brasileiro.

(Reportagem complementar de Julia Cobb e Luis Jaime Acosta em Bogotá, Mitra Taj em Lima, Steve Holland em Washington e Lisandra Paraguassu em Brasília)

Trump vai se reunir com Temer e outros presidentes sul-americanos de olho na Venezuela

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/trump-vai-se-reunir-com-temer-e-outros-235731049.html