Turistas pagavam com destino a tirar fotos com ‘panda’ filhote que na realidade era um cão

O que você faria se em plena luz do dia no meio da rua, encontrasse um filhote de panda? Tiraria fotos e postaria nas redes sociais ou chamaria a polícia? Um caso igual a esse ocorreu em Monastir, Sochi, na Rússia. De ajustamento com testemunhas, um filhote de panda estaria sendo exposto na rua no colo de um comerciante de rua que estaria cobrando com destino a que turistas tirassem fotos ou fizessem snaps com o mesmo.

A sensação foi geral, pois, em muito pouco tempo centenas de pessoas souberam do fato e foram inclusive o local com destino a ver a raridade, dado ao fato de que pandas são vivo em extinção no mundo, tendo poucos exemplares exclusivamente em zoológicos, em sua grande maioria na China.

Com tanta comoção em volta do desumano a polícia acabou sendo chamada com destino a prender o sujeito por crime ambiental, mas ao se depararem com o tal panda, os policiais que atenderam a ocorrência puderam verificar que o criatura não passava de um filhote de cão, da raça chow chow. 

O desumano ficou exposto a luz do sol durante toda a tarde. (Foto: CEN)

Testemunhas deram conta de que o tal dono do desumano o pintara de preto e claro, expondo o mesmo em praça pública em um canícula de 40°C, em pleno verão europeu, com destino a conseguir ganhar dinheiro com a exibição. inclusive agora de ajustamento com o relatado, ele possuiria identicamente outros vivo que não são de fauna, mas sim domésticos, mas que ele oferta com destino a demonstrações como tal.

Ao jornal Metro, o oficial do ministério assistência russo Anton Lopatin, garantiu que as investigações do caso serão abertas e caso seja comprovado, o homem indiciado que não teve o nome divulgado, poderá ser preso por inclusive 10 anos por maus tratos a vivo.

Turistas pagavam com destino a tirar fotos com ‘panda’ filhote que na realidade era um cão

Fonte: http://tnonline.uol.com.br/noticias/cotidiano/67,423143,16,07,turistas-pagavam-com destino a-tirar-fotos-com-panda-filhote-que-na-realidade-era-um-cão.shtml