Vereador do Rio de Janeiro pedia propina com destino a liberar corpos do IML

A saga da corrupção no Brasil chegou ao seu nível mais sombrio com uma acesso de que um vereador do Rio de Janeiro obrigava familiares de pessoas mortas a pagar propinas com destino a entregar os corpos.

O vereador Gilberto de Oliveira Lima e outros dois funcionários foram denunciados por integrar uma máfia no Instituto Médico Legal (IML) de Campo Grande, disse o Ministério assistência do Rio de Janeiro em comunicado nesta terça-feira.

“O golpe funciona, pelo menos, desde 2014 já os dias de hoje”, afirma o texto.

Gilberto de Oliveira Lima é indiciado de trabalhar em conjunto com quatro hospitais com destino a conseguir que os corpos fossem transferidos ao IML, em certos casos sem necessidade de necropsia.

Depois, cinco casas funerárias pagavam ilegalmente os três funcionários com destino a que lhes permitissem trabalhar nos corpos dentro do próprio IML, que consiste em uma prática ilegal, e finalmente pediam aos familiares dinheiro com destino a que os entregassem.

“com destino a pojar os lucros, os hospitais enviavam ao IML corpos de pessoas que tiveram morte natural, não violenta ou insuspeita, e que, portanto, não precisariam passar pelo posto. dessa maneira, a demanda era sempre subida” e os familiares tinham que pagar propinas com destino a recuperar os corpos, explicou o MPRJ.

Vereador do Rio de Janeiro pedia propina com destino a liberar corpos do IML

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/vereador-rio-janeiro-pedia-propina-liberar-corpos-iml-213028470.html